A Orquestra

A OSJI

Composta por jovens músicos de 15 a 29 anos de idade selecionados através de audições anuais, a OSJI desenvolve anualmente uma série de concertos regulares em várias localidades na região da Baixa Mogiana. A Orquestra desenvolve programas diversificados: concertos sinfônicos, líricos, temáticos, didáticos, populares, além de promover intervenções em locais públicos e instituições e propiciar ensaio abertos ao público.

A OSJI viabiliza, desta forma, a profissionalização dos jovens músicos que atuam na orquestra, oportunizando a introdução destes ao ambiente da música profissional. Os aprovados nos testes recebem bolsas de estudos e se apresentam a um público variado durante toda a temporada. A Orquestra é aclamada por diversos públicos e crítica e vem se destacando por suas performances vibrantes e por seu repertório eclético, aliados ainda a qualidade do tratamento artístico, social e pedagógico direcionado a seus jovens músicos, o que a torna uma das mais conceituadas e relevantes iniciativas de profissionalização artística, difusão cultural e transformação social no interior do Estado de São Paulo.

Atuante desde 2011, a OSJI já promoveu concertos e ações em diversas localidades tais como: Amparo, Campinas, Cosmópolis, Mogi-Guaçu e Mogi-Mirim, destacando-se os Concertos Temáticos: “Espetáculo de Natal”, “The Rock Symphony: Uma História Social – Parte I”, “Cine in Concert”, “A Night on Broadway”, e o Didático “O Mundo da Criança é o Mundo da Música”, além dos muitos Concertos Sinfônicos, especialmente os realizados durante a temporada regular do ano de 2013, com a presença de sessenta bolsistas mantidos pela OSJI através de recursos assimilados por intermédio da Lei de Incentivo à Cultura e do ProAc/ICMS – SP.

DEMOCRATIZANDO O ACESSO


A OSJI promove a profissionalização dos jovens músicos que atuam na orquestra, oportunizando a introdução destes ao ambiente da música profissional através de audições anuais. Ao produzir concertos em diferentes localidades dentro do Estado de São Paulo, proporciona a inclusão de novos públicos às possibilidades da música sinfônica.